Como combater o desânimo no ambiente de trabalho

Muitas pessoas ainda não devem ter ouvido falar do termo “languishing”, porém já devem ter experimentado, em algum momento, a sensação de estar “apenas existindo”, cumprindo tarefas.


Desânimo, procrastinação, depressão, desmotivação


Muitas pessoas ainda não devem ter ouvido falar do termo “languishing”, porém já devem ter experimentado, em algum momento, a sensação de estar “apenas existindo”, cumprindo tarefas. É como ter a vida em suspenso, sem perspectivas. O termo, que vem sendo traduzido no Brasil como “abatimento” ou “definhamento”, significa estar em uma espécie de limbo emocional.⁠ ⠀ ⠀ Esse sentimento ou estado emocional, pode ser confundido com tédio, síndrome de boreout, preguiça ou até depressão. "Mas quem tem languishing não está entediado, está anestesiado. A pessoa não se importa nem percebe que vive um estado desprazeroso”, diz o psicanalista Christian Dunker. ⠀ Quando o tédio se torna um problema generalizado, pode se transformar em síndrome de boreout, que pode levar o colaborador à procrastinação ou até a comprometer seriamente a sua produtividade. Já no languishing, o mais comum é acontecer o oposto, como mostrou uma pesquisa: dos 3.609 profissionais entrevistados, 86% disseram que sua produtividade se manteve ou até aumentou.⁠⁠ Já em áreas que implicam relações humanas, os prejuízos trazidos pelo estado mental de anestesia ficam mais evidentes, pois o profissional perde a capacidade de trabalhar em grupo. “Ele não consegue pensar direito, ter novas ideias, tomar decisões.”⁠⁠⠀


Dunker destaca que a pessoa com languishing mantém um ritmo estável de produção, pois não distribui sua atenção, não tem outros interesses, porém desenvolve seu trabalha no ‘piloto automático’, o que não é positivo nem para o profissional nem para a empresa.


Separamos aqui 05 formas de combater esse estado de languishing:.


  1. Defina Prioridades: o excesso de tarefas pode contribuir para o estimular o sentimento de tédio, por levarem as pessoas a se sentirem sobrecarregadas. Muitos se sentem como se não tivessem executado nada ao longo do dia. É importante que os gestores sinalizem as prioridades e ajudem a equipe a cumpri-las.

  2. Dê mais autonomia: A ausência de poder de decisão é um dos principais fatores que levam à desmotivação no mundo corporativo. As pessoas têm a sensação que estão no seu trabalho apenas para cumprir ordens. Isso, gradativamente, mina a motivação.

  3. Repense o desenvolvimento: muitas organizações oferecem treinamentos incompatíveis com o que os colaboradores têm de propósitos. Estimular conhecimentos em outras áreas é uma maneira de fazer o time da empresa sentir que está se movendo adiante.

  4. Estimule os talentos: Conhecer e reconhecer as habilidades de quem atua com você, é fundamental. Da mesma forma que uma pessoa que está com uma tarefa além da sua capacidade pode adoecer por não conseguir dar conta do trabalho, as pessoas com funções abaixo das suas competências se sentem desmotivadas, desvalorizadas e incapazes.

  5. Promova a resiliência do time: É importante fortalecer a maturidade emocional para lidar com as crises. As equipes são muito mais resilientes quando os integrantes confiam uns nos outros. Sendo assim, vale também favorecer a colaboração entre as partes, estimulando, inclusive, o trabalho em grupos multidisciplinares.

⠀ Fonte: Materia da Revista Você RH

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo